Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io
Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io

O que é nota fiscal de remessa? Veja as 7 situações em que é necessário emiti-la

O que é nota fiscal de remessa e quais as suas vantagens? Veja os 7 momentos em que é necessário gerar e descubra como emitir.

Gabriel MarquezGabriel Marquez

Sempre que você emite uma nota fiscal, os impostos são cobrados de sua empresa e você deve pagar na data determinada, certo?

ERADO! Na verdade não é bem assim…

Sabia que existem alguns casos em que você pode enviar uma mercadoria com nota fiscal, sem que sejam cobrados impostos?

Sim, nossa legislação é cheia de detalhes e organizar as notas fiscais da empresa pode parecer algo complexo e trabalhoso, considerando que há inúmeras particularidades que devem ser levadas em conta na hora emitir esses documentos fiscais.

Por exemplo, você sabe o que é nota fiscal de remessa?

É exatamente desse tipo de nota fiscal que estamos falando, quando dizemos que são emitidas, mas não geram a obrigação de pagar os impostos.

A nota fiscal de remessa é um tipo de NFe muito importante e essencial em movimentações da empresa. E conhecer seus detalhes é importante para a gestão financeira empresarial. Afinal, por que pagar por algo que você não é obrigado, não é mesmo?

Para que o assunto fique claro, separamos abaixo todas as informações que você precisa para entender o que é nota fiscal de remessa e como emitir a nota fiscal de simples remessa.

Aproveite!

Antes de ver as informações sobre o que é uma nota de remessa, confira este infográfico com informações sobre o que é emissão de nota fiscal:

O que é nota fiscal de remessa

Veja também: Saiba como emitir nota fiscal em contingência passo a passo

O que é nota fiscal de remessa, afinal?

A nota fiscal de remessa é o tipo de NFe que acompanha os bens e as mercadorias que saem da sua empresa sem o objetivo de realizar uma venda.

É como se fosse uma nota de transporte, exigida quando determinado item é retirado do seu estoque e é enviado para um outro local, como uma filial de sua empresa, por exemplo.

Portanto, nesse caso, a emissão de uma nota fiscal de simples remessa não vai caracterizar uma operação comercial, em que haverá troca de mercadoria por dinheiro.

Vamos supor que você irá transferir sua mercadoria de uma unidade de seu negócio para outra. unidade

Não se trata de uma compra e nem de uma venda, certo? Então – pense bem – por que deveria ser emitida uma nota fiscal?

Bem, simplesmente porque todas as operações devem ser registradas. Mas, neste caso, você utiliza a nota de remessa. Dessa forma, evita que os impostos referentes a essa operação sejam cobrados.

Diferença entre nota fiscal de simples remessa e nota fiscal normal

A grande diferença que existe nesse tipo de nota fiscal é que ela é emitida em transações não relacionadas à uma venda.

Um produto pode até sair do estoque de sua empresa com a intenção de venda, mas a transação comercial ainda não aconteceu.

inda assim, existem inúmeras situações em que a nota fiscal de simples remessa é necessária.

Veja, a seguir, como emitir nota fiscal de simples remessa em diferentes situações que podem ocorrer em sua empresa.

Fique atento para não deixar de cumprir com essas regras e pagar um imposto que n˜åo precisaria pagar!

Confira também: Nota fiscal rejeitada: o que fazer? Tire suas dúvidas agora!

Tipos de nota de remessa: saída e entrada

Você já entendeu o que é uma nota de remessa?

Mas em quais situações se enquadra esse tipo de nota fiscal diferenciada?

Para evitara erros de interpretação nessa hora, antes de chegar às situações em que se deve gerar nota de remessa, é preciso entender os dois tipos existentes.

A nota que controla a saída e a nota que controla a entrada das mercadorias.

Basicamente, a nota fiscal de remessa de saída deve ser emitida quando o item está sendo retirado da empresa, mas deve voltar em breve. É o caso de quando se transporta o produto para ser consertado, por exemplo.

Já quando ele volta ou chega de fato para a empresa, ainda sem uma nota fiscal, deve-se emitir a nota de entrada.

Quer entender as vantagens da nota fiscal de simples remessa em mais detalhes? Então, confira este vídeo da Vb Brasil:

Quando preciso gerar nota de remessa? Veja 7 exemplos!

Agora você até sabe o que é nota fiscal de remessa. Mas ainda não entendeu em quais situações específicas deve ser gerada essas nota.

Veja, então, os 7 exemplos mais comuns em que pode ser necessário gerar nota de simples remessa na sua empresa!

Em que situações emitir nota fiscal de simples remessa:

  1. Consertos: em casos de defeitos de produto, o envio para conserto externo exigirá a nota fiscal de remessa.
  2. Brindes: quando há entregas de brindes de forma espontânea, como em datas especiais, natal, por exemplo, para agradar clientes.
  3. Amostras grátis: É muito comum enviar amostras de produtos para que futuros clientes possam analisá-los e se decidir ou não pela compra. E não haveria motivo para emitir uma nota fiscal comum no envio de amostras grátis. Mas elas ainda assim devem ser registradas como notas de remessa.
  4. Doações: as entradas ou as saídas de doações filantrópicas não devem ser tributadas, mas sempre devem estar acompanhadas de notas de remessa.
  5. Envio para depósito externo ou armazém: quando existe algum tipo de terceirização, mas a mercadoria ainda está sendo enviada para um depósito ou armazém de terceiros, não se emite a nota fiscal comum, mas a de simples remessa.
  6. Consignação ou demonstração: seja para enviar um produto apenas para demonstrá-lo ou em casos de consignação, a nota de simples remessa é a que deve ser emitida.
  7. Industrialização: quando se usa uma matéria-prima para transformá-la em um produto da empresa a nota emitida é de simples remessa.
Lembre-se:

Sempre que houver movimentação no seu estoque para fora da empresa, será necessário gerar uma nota de remessa ou uma nota fiscal de compra e venda. Fique atento aos casos acima para emitir a nota fiscal correta, conforme a situação real ocorrer.

Caso a Receita Federal peça o comprovante de algum produto que saiu da sua empresa e ele não esteja acompanhado de nota fiscal, a empresa pode ser multada.

E esse é o tipo do erro financeiro e contábil que sua empresa não deve cometer! Por isso, não deixe de entender quando e como emitir nota de remessa.

Leia  mais: Problema na emissão de nota fiscal eletrônica? Veja como evitar!

Confira este infográfico que mostra um resumo de quando emitir a nota fiscal de remessa:

O que é nota fiscal de remessa

As vantagens da nota fiscal de remessa

Uma das grandes vantagens de emitir a nota fiscal de remessa é que, geralmente, ela fica isenta de impostos.

Isso ocorre porque, nesse primeiro transporte, ainda não há venda. E, como vimos acima, não haveria motivo para pagar impostos se não houve uma transação comercial.

Mas, claro, pode acontecer da suspensão na tributação ocorrer em um estado e em outro não, portanto vale ficar atento às operações e suas particularidades.

Outra vantagem é a facilidade na emissão, que permite o controle maior de todas as operações. Os próprios gestores da empresa ficam cientes de todas as movimentações de mercadorias de uma maneira simplificada.

Saiba mais: Você sabe como emitir nota fiscal de e-commerce? Confira tudo que precisa fazer

Como emitir nota fiscal de remessa?

A boa notícia é que não há muito segredo nenhum para aprender como emitir nota fiscal de remessa. Isso porque ela deve ser gerada através do mesmo sistema em que se emitem as notas fiscais tradicionais de vendas de sua empresa.

Na hora de preencher a nota fiscal de simples remessa, você precisa apenas descrever a operação corretamente e informar todos os dados da sua empresa, assim como também os custos de frete, os produtos e os tributos envolvidos na operação.

Leia também em nosso blog: Quais são os impostos na nota fiscal de serviços Lucro Presumido? Veja todos eles e como calcular!

Não tem como emitir nota fiscal de simples remessa sem fornecer uma série de dados e preencher vários campos obrigatórios.

Por isso, fizemos uma relaç˜åo de quais s˜åo eleas. Veja!

Informações que precisam constar do preenchimento de notas fiscais de simples remessa:

  • CFOP
  • Natureza da operação
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
  • Programa de Integração Social (PIS)
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins)
  • Situação Tributária (CSOSN/CST)
  • Origem do Produto
  • Produto
  • Quantidade
  • NCM
  • Dados do cliente ou do fornecedor
  • Informações complementares
  • Preço unitário (de custo) da mercadoria

Alguns desses itens citados acima, às vezes, suscitam algumas dúvidas. Por isso, vamos explicá-los com mais vagar.

CFOP

CFOP significa Código Fiscal de Operações e Prestações das entradas e saídas de mercadorias, intermunicipal e interestadual.

É, o nome é bem complicado mesmo!

Para preencher esse campo, o ideal é consultar a tabela fornecida pelo Ministério da Fazenda. Você pode baixar esse arquivo em, Excel aqui: Tabela CFOP

CST

Código de Situação Tributária, esse é o significado dessa sigla.

Mais uma vez, fique atento à classificação. Trata-se de um número de dois dígitos.

Selecionamos a tabela para você:

Tabela CST – Código de Situação Tributária

  • 00 – Tributação integral
  • 10 – Tributação com cobrança de ICMS por substituição tributária
  • 20 – Tributação com redução de base de cálculo
  • 30 – Isenção ou não tributação e com cobrança de ICMS por substituição tributária
  • 40 – Isento
  • 41 – Não tributado
  • 50 – Suspenso
  • 51 – Diferimento
  • 60 – ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária
  • 70 – Com redução de base de cálculo e cobrança do ICMS por substituição tributária
  • 90 – Outras

Preencha esses números com cuidado para evitar erros!

Agora que você já sabe o que é e como emitir nota fiscal de simples remessa, que tal conhecer mais sobre notas ficais de serviços em geral? Então, confira este infográfico criado pela equipe do NFe.io:

o que é nota fiscal de simples remessa

Saiba mais: Tudo que você precisa saber sobre o que é Nota Fiscal de Serviços Eletrônica

Como um gerenciador de notas fiscais pode ajudar sua empresa

O cálculo dos impostos, a emissão, a geração dos arquivos XML e HTML e o eu envio por o e-mail de seus clientes. Tudo isso é providenciado por um bom software de automação de notas fiscais eletrônicas.

E no caso do NFe.io, você também conta com um painel de controle com todos os dados de faturamento mensal de seu negócio, que podem ser consultados facilmente.

Além disso, é possível emitir notas de diferentes CNPJs para diversas prefeituras, sem sair do sistema nem fazer novo login.

E mais, com o NFe.io, você pode fazer consultas automatizadas de CPF e de CNPJ e conta também com um excelente desconto na emissão do certificado digital.

Saiba mais aqui: Gerenciador de nota fiscal eletrônica: conheça o NFe.io

Empreendedor e Fundador da NFe.io e outras startups. Focado em ajudar empreendedores a escalar seus negócios. Interessado? Marque um papo!
Comments 1