Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io
Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io

Tendências 2019 para empresas de economia recorrente

A economia de recorrência chegou para ficar. Será que sua empresa pode ser a próxima a investir em serviços recorrentes? Descubra tudo neste post.

Gabriel MarquezGabriel Marquez

Por: VHSYS

Que a economia de recorrência chegou para ficar, já não é mais novidade. O modelo de negócio que começou a ser estudado lá nos anos 2000, por Jeremy Rifkin, é o mais desejado pelas empresas atualmente, pelo seu grande número de vantagens.

Cada vez mais empresas estão aliando as necessidades das pessoas, junto às estratégias da economia recorrente e tem seus negócios mais prósperos e saudáveis. Isso, porque conseguem acompanhar com mais facilidade a previsão de receita, melhorar o ticket médio, proporcionar experiências no atendimento ao cliente mais inovadoras e muito mais.

Neste artigo, vamos te mostrar qual o futuro dos serviços recorrentes, os modelos de negócio que já são sucesso e também como a gestão é fundamental para sua empresa de assinaturas. Vamos lá?

Futuro da economia recorrente

Diversos tipos de empresas já adotaram o serviço de assinaturas de seus produtos e serviços e já alcançam grandes resultados em relação a faturamento e também número de clientes.

Segundo um estudo feito pela consultoria Gartner, cerca de 80% das empresas de tecnologia devem aderir a economia de recorrência até 2020. Outro estudo feito pela Zuora, que é uma das plataformas de assinaturas mais conhecidas do mercado, indica que nos Estados Unidos, a economia recorrente cresceu oito vezes a mais que empresas que não fazem parte desse modelo de negócio.

Em 2017, foi feita a primeira pesquisa sobre o mercado SaaS no Brasil, que foi a Brazil SaaS Landscape 2017. A pesquisa mostra que as empresas nacionais são muito eficientes em relação a seu capital. Nos Estados Unidos, as empresas levam 12 meses ou mais para recuperar os custos de aquisição. No Brasil, mais de 60% dos negócios que foram entrevistados, recuperaram o CAC em menos de seis meses. Além disso, as startups têm em sua maioria, suas finanças saudáveis.

Todos esses dados mostram que o modelo de negócio de assinaturas vai trazer ainda mais adeptos e continuar a fornecer novos tipos de produtos e serviços que supram as necessidades diárias das pessoas, independente do nicho. Afinal, são inúmeras as vantagens da economia recorrente, como previsão de receita, redução no custo de aquisição dos clientes, fluxo de caixa estável e aumento do ticket médio, por exemplo.

Modelos de negócios que são sucesso na economia de recorrência

Mais uma característica das empresas com serviços recorrentes, é que o produto é voltado para o mercado local. Os empresários estão cada vez mais preocupados em resolver problemas comuns das pessoas, como a diminuição de burocracia na hora de abrir uma empresa, a facilidade de acesso a empréstimos pessoais com baixo custo, por exemplo.

Os novos negócios são criados para atender necessidades de cada segmento e os maiores exemplos que temos são a Netflix e Spotify que trouxeram serviços de streaming de filmes, séries, documentários e música, com a cobrança de um pequeno valor por mês. Além disso, hoje temos serviços como academias com programas personalizados, contabilidades, sistemas de gestão, por exemplo, todos trabalhando com a venda do acesso de seu serviço, sendo cobrado mensalmente, crescendo cada vez mais no país.

Além da Netflix e Spotify, que são os modelos mais conhecidos e já estão há algum tempo no mercado, existem outros tipos de negócio que estão se destacando.

1- WBeer

A WBeer é um clube de assinaturas de cerveja. A empresa possui vários rótulos do mundo todo e atualmente oferece três formatos de assinatura, com preços que variam de R$ 40 a R$ 80. O cliente pode optar por diferentes tipos e intensidades de cerveja, e receber em casa mensalmente dois rótulos.

O clube de assinaturas faz parte de um dos maiores e-commerces de vinho do Brasil, que é o Wine e já traz resultados expressivos em faturamento e número de assinantes.

2- LatBox

A LatBox também é um clube de assinaturas, mas voltada para o mercado pet. Neste clube, que tem planos que variam de R$ 130 a R$ 140, os clientes recebem em casa artigos para seu animal doméstico, que são petiscos, brinquedos, acessórios, artigos de higiene e muito mais.

É um nicho que cada vez mais cresce no país, pois as pessoas estão procurando mais por animais de estimação e tem os mesmo cuidados com o pet, que teriam com um filho.

3- Glambox

A Glambox é um serviço de assinatura voltada para a beleza e estética. Os assinantes definem seu perfil de beleza, escolhem o plano que mais se adequa ao orçamento e recebem em casa produtos que muitas vezes são mais caros que o valor da assinatura.

A ideia é que os clientes experimentem os mais diversos produtos de beleza do mercado, sem sair de casa. Os planos variam de R$ 67,90 a R$ 82,90 por mês.

4- VHSYS

A VHSYS é um sistema de gestão empresarial, que foi criado em 2011. O ERP cresce a cada ano 100%, devido a economia de recorrência. O software possui diversas funções integradas, como controle de vendas, financeiro e estoque, além de aplicativos que potencializam o sistema de acordo com a necessidade dos clientes.

Mais de 150 mil empresários já usaram o sistema e a previsão de faturamento da empresa para 2019 é de R$ 18 milhões.

Como a gestão é essencial para os serviços de assinatura?

Conhecemos os diversos benefícios e vantagens que os serviços recorrentes trazem para as empresas. Mas, para ter clubes de assinaturas e venda de acesso de serviços é muito importante ter uma gestão muito organizada, além de um bom controle de vendas e estoque.

É essencial estruturar as principais áreas da empresa para que a venda, entrega dos produtos ou serviços, o atendimento ao cliente, cobrança, o financeiro fiquem integrados e todo o processo funcione com precisão.

Em um serviço de assinaturas, é extremamente importante que a cobrança seja automatizada, para que você não precise se preocupar em gerar boletos todos os meses e ainda enviar um a um a cada cliente. Além disso, é preciso ficar atento a cada cancelamento, para que não envie produtos ou continue disponibilizando o acesso de seu serviço àquele cliente que não está mais em sua base.

É preciso também dar muita atenção ao estoque quando você tem um clube de assinaturas. Calcule o capital de giro, faça uma análise dos produtos que são mais vendidos e os que saem menos de acordo com o perfil de cada cliente. Isso o ajuda a fazer uma gestão de compras muito mais precisa e a não deixar mercadorias paradas. Lembre-se: estoque é dinheiro.

Além disso, fique muito atento ao seu financeiro. Analise sempre o fluxo de caixa, as contas a pagar e receber, seu nível de inadimplência, faça a previsão de faturamento e planeje como investir o lucro obtido com o negócio.

O mais recomendado para todo esse controle é possuir um bom sistema de gestão. Com funcionalidades integradas de controle de estoque, vendas, financeiro e ainda emissão de notas fiscais, você automatiza rotinas e tem controle em um só lugar de todas as áreas de sua empresa.

Conclusão

A economia de recorrência traz cada vez mais adeptos e tudo indica que as empresas que ainda não fornecem a assinatura de seus produtos e serviços comecem a adaptar seu modelo de negócio. As vantagens dos serviços recorrentes são inúmeras para as empresas e trazem consigo o crescimento da empresa. Já pensou receber um investimento e estar entre os grandes nomes do mercado? A economia recorrente pode te ajudar.

Tem interesse em receber mais conteúdos relacionados ao assunto? Assine agora a nossa newsletter e receba materiais exclusivos!

Este texto foi produzido pela VHSYS, o sistema de gestão empresarial mais completo do mercado.

Empreendedor e Fundador da NFe.io e outras startups. Focado em ajudar empreendedores a escalar seus negócios. Interessado? Marque um papo!
Comments 0
There are currently no comments.