Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io
Nota Fiscal Eletrônica, gestão empresarial e meios de pagamento – Blog Nfe.io

Indicadores de risco financeiro: 7 opções para orientar as tomadas de decisão do seu negócio

Confira 7 principais indicadores de risco financeiro e saiba como essas ferramentas podem ajudar nas decisões do seu negócio.

Gabriel MarquezGabriel Marquez

Você já ouviu falar em indicadores de risco financeiro?

Tratam-se de ferramentas muito úteis para avaliar todas as incertezas que rondam as atividades financeiras de uma organização. Assim, esses indicadores mostram as chances de determinado evento se concretizar. Dessa forma, permitindo que o gestor se antecipe e tome iniciativas para evitar tais riscos ou minimizar as consequências negativas.

Nas próximas linhas, você vai entender para que servem os indicadores de risco financeiro e, além disso, conferir 7 exemplos para implementar na sua gestão.

Leias também: Entenda o risco de inadimplência e saiba quais as vantagens de manter as contas em dia

Para que servem os indicadores de risco financeiro?

Como bem adiantamos na nossa introdução, os indicadores de risco financeiro são ferramentas fundamentais para a análise de possíveis consequências relacionadas às operações que envolvem o dinheiro de uma organização.

Dentre tais operações, podemos citar:

  • o gerenciamento do fluxo de caixa,
  • os investimentos de uma empresa,
  • a contratação ou demissão de funcionários,
  • o lançamento de um novo produto,
  • a expansão da marca;
  • o direcionamento de recursos em geral.

O principal objetivo dos indicadores de risco financeiro é dar embasamento para as tomadas de decisão, evitando que estas sejam fundamentadas em meros achismos. Assim, evita-se consequências indesejáveis, reduzindo ao máximo o impacto negativo dessas decisões sobre as finanças da empresa.

Além disso, é por meio desses indicadores que se faz a avaliação das chances de determinado risco se concretizar como consequência de alguma decisão e do impacto disso para o negócio.

Os indicadores de risco financeiro servem também para que a empresa priorize determinadas estratégias em detrimento de outras de acordo com o risco que cada uma delas representa.

Com esses indicadores, é possível verificar se os planos de ação para mitigar ou minimizar os efeitos de tais riscos estão funcionando conforme o esperado ou se há necessidade ajustes.

Que tal, antes de dar uma olhada nos indicadores de riscos financeiros, entender um pouco mais sobre esse tema? Então, assista a este vídeo da Pi Investimentos:

Este artigo pode interessar a você: Análise das Demonstrações Contábeis: passo a passo para chegar a um diagnóstico completo

7 indicadores de risco financeiro para ficar de olho

Agora que você já sabe para que servem os indicadores de risco financeiro, confira a seguir alguns exemplos que você pode implementar na sua empresa.

1 – Valor Presente Líquido (VPL)

O Valor Presente Líquido é um indicador utilizado para medir e avaliar o quão viável um projeto ou um investimento é sob a perspectiva financeira.

É a partir do VPL que se determina o valor presente de pagamentos a receber subtraindo o custo do investimento inicial.

O ideal é que o VPL seja sempre maior que zero. Caso contrário, este indicador estará mostrando que há um risco considerável de o seu projeto não gerar lucro.

2 – Índice Benefício/Custo (IBC)

Este segundo indicador mede a relação entre o valor investido e o retorno que se espera obter. Se o IBC for menor que 1, recomenda-se não validar o projeto, pois o risco de não haver bons retornos é muito elevado.

3 – Liquidez Corrente (LC)

A Liquidez Corrente indica o quanto a empresa é capaz de arcar com suas obrigações financeiras de curto prazo.

A fórmula para calcular este indicador é a seguinte:

  • LC = Ativo Circulante / Passivo Circulante

O ideal é que o resultado seja sempre superior a 1.

4 – Capital de Giro Líquido (CGL)

O Capital de Giro Líquido é a reserva que a empresa tem para custear seu funcionamento e manter o estoque girando.

Quando este indicador de capital de giro está muito baixo, há um risco de a empresa não conseguir dar continuidade às suas atividades.

O cálculo é feito assim:

  • CGL = Ativo Circulante – Passivo Circulante.

5 – Prazo Médio de Recebimento (PMR)

O Prazo Médio de Recebimento é um indicador de risco financeiro que mostra, em média, quanto tempo a empresa demora para receber o valor de suas vendas.

O cálculo é o seguinte:

  • PMR = (Duplicatas a Vencer / Vendas) * 360

6 – Prazo Médio de Pagamento (PMP)

Semelhante ao indicador anterior, o Prazo Médio de Pagamento mostra, em média, o tempo que a empresa demora para pagar os produtos adquiridos para o seu estoque.

O cálculo é o seguinte:

  • PMP = (Pagamento dos Fornecedores / Valor das Compras) * 360

7 – Participação de Capital de Terceiros

Encerrando nossa lista com os principais indicadores de risco financeiro, temos a Participação de Capital de Terceiro.

Este indicador mostra a relação entre o patrimônio líquido da empresa e o volume de capital de terceiro que compõe esse patrimônio. A intenção é identificar o quão dependente de recursos externos a empresa é.

O cálculo é o seguinte:

  • Participação de Capital de Terceiros = (Passivo Circulante + Passivo Não Circulante) / Patrimônio Líquido

Esses foram os 7 principais indicadores de risco financeiro. Mas lembre-se de que a escolha dos indicadores mais adequados deve estar em consonância com os objetivos estratégicos da sua empresa.

É importante conhecer outros tipos de indicadores financeiros, além dos indicadores de risco, por isso, confira:

Indicadores de risco financeiro

Veja também: Indicadores de desempenho para departamento fiscal: 13 KPIs para se manter em dia com o Fisco e evitar prejuízos

Automatizar a gestão de notas fiscais pode diminuir riscos

Ao usar um software de gerenciamento de notas fiscais como o Nfe.io, o risco de emitir notas erradas ou atrasadas diminuiu muito, por isso, adotar essa automatização em seu negócio pode ser muito vantajoso.

Além disso, você conta com diversas outras vantagens:

  • Conta com consultas automatizadas a CPF e a CNPJ; 
  • Guarda suas notas fiscais em local seguro na nuvem automaticamente;
  • Tem desconto na emissão do certificado digital;
  • Pode usar um painel de controle intuitivo;
  • Faz o cálculo dos impostos automaticamente;
  • Os arquivos XML e HTML são gerados e enviados aos clientes por e-mail;
  • Faz o reenvio de notas automático, caso o site da prefeitura esteja fora do ar;
  • Você pode emitir notas fiscais de vários CNPJs para diferentes municípios sem sair do sistema.

Saiba mais: Gerenciador de nota fiscal eletrônica: conheça o NFe.io

Empreendedor e Fundador da NFe.io e outras startups. Focado em ajudar empreendedores a escalar seus negócios. Interessado? Marque um papo!
Comments 0
There are currently no comments.